Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

DEMORADAMENTE, AO SOL

 

Se eu soubesse como

traria o sol para enxugar o céu molhado

e encher de luz a primavera entristecida.

Se eu soubesse como

colheria pela raiz flores proibidas da Babilónia

para tas plantar em canteiros originais

e rarefazer de aromas perfumados o teu jardim.

Se eu soubesse como

pousaria o meu olhar no teu

e beberia do teu sorriso

até me embriagar de encantamento!

Se eu soubesse como

adormeceria no teu colo

e só na maciez da tua pele despertaria

ao pulsar acelerado dos corações…

Se eu soubesse como

beijaria os teus lábios meigos

demoradamente em silêncio

sem pressa e sem tempo

como se num deserto calmo, ao vento distante;

de areias pousadas e quietas no chão

e um oásis a servir-nos em fonte franca o doce da nascente.

Se eu soubesse como

dir-te-ia deste meu delírio…

sentido e bom, solto do peito e das mãos.

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post