Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

SOUBE AGORA, ZÉ CID...

 

Ah!, hoje, algum tempo depois (sei anos, parece-me) de teres dito o que disseste, "as pessoas do Portugal profundo", incluindo as de Trás-os-Montes, finalmente evoluíam um pouco. Já sabem, por exemplo, sem necessidade de palpação, o peso dos tomates dum boi barrosão; sabem distinguir uma alheira de Mirandela, de uma pila mole, dobrada e atada com um cordel e sabem - vê lá tu! - na área da música, que num sustenido sobe-se meio tom e num bemol desce-se.
E tu, que aprendeste, pelo menos, a distinguir a vaidade e ego cheio (de pouco) da falta de respeito?
Toma um abraço dum minhoto, que até ao pé-coxinho chega, e gostar de chegar, a Trás-os-Montes.