Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

Casino da Figueira da Foz - Pedro Barroso

 

AMANHÃ - 31 de Março - ESTAREI, FINALMENTE, AO LADO DO TROVADOR A OUVIR ESTA "NOSSA" CANÇÃO, BEM COMO MUITAS MAIS DO ÚLTIMO TRABALHO DO AMIGO E PARCEIRO DE VERSOS 

 

- NO CASINO DA FIGUEIRA DA FOZ

 

APROVEITO PARA, DAQUI, AGRADECER AO CASINHO DA FIGUEIRA DA FOZ A SIMPATIA COM QUE ME "ATENDEU", QUANDO SOUBE QUE IREI ESTAR PRESENTE.


 

CONCERTO ANTENA 1

 

AMANHÃ, NO TEATRO DA LUZ, EM LISBOA - 15 HORAS - CONCERTO DE PEDRO BARROSO

TRANSMITIDO EM DIRECTO PELA ANTENA 1

MUITAS CANÇÕES, E ENTRE ELAS "IN NOMINAE", COM PALAVRAS MINHAS...

 

 

Coração de Algodão (edição Portugal)

 

CORAÇÃO DE ALGODÃO (edição Portugal - 2011)


O meu 5º livro, de onde destaco:

MOSTRO DE MIM

Mostro de mim quase nada
e nada já sou quem sou.
Verto dos bolsos os versos 
que guardo dos meus delírios
se me inventei ao luar
nas noites mansas do estio.
Guardo os sabores temperados
em favos de mel e sal
nas fendas no céu da boca
quando à sede me rendi.
Mostro de mim quase nada
e nada já sou quem sou.
Sei das cores das flores do campo,
sei das dores das folhas no outono
encharcadas de saudade
quando se vão sem querer…
Mostro as minhas mãos rasgadas
nas pedras ásperas que abracei
e guardo flores secas prensadas
dos jardins que não reguei.
Mostro de mim…

 

  

A história maravilhosa do país bimbo - prefácio

 

Para prefaciar a sua obra “A HISTÓRIA MARAVILHOSA DO PAÍS BIMBO” – Edição Calidum – 2005 - PEDRO BARROSO incumbiu o seu amigo e ilustre maestro António Vitorino de D´Almeida. Por erro na distribuição postal, o pedido foi recebido, na Vila de Almeida, por um homónimo do maestro, que cordialmente respondeu ao autor.

PREFÁCIO*

Ex.mo Senhor Doutor
Agradeço comovidamente a honra que me dá, ao convidar-me para fazer o prefácio da sua obra que, não duvido, pela extensão e pela notável apresentação muito digna me parece. Fiquei muito agradado. Muito obrigado pela escolha.
Verifiquei que os títulos dos capítulos eram todos em Latim, o que só prova que se trata de uma pessoa com muitos estudos e grandes capacidades.
Infelizmente só lancei os olhos pelos referidos títulos e não li o livro, pois apercebi-me logo que tinha havido um pequeno engano, a que, de resto, já estou habituado devido ao meu nome.
Com efeito, as pessoas ultimamente têm confundido a minha pessoa, ao que parece, com um senhor António Vitorino que era Comissário Europeu e até já me telefonaram a pedir para legalizar o jardineiro do Sr. Engenheiro, que é ucraniano ilegal, como se eu tivesse competência para isso.
Sou, para seu mais completo esclarecimento, realmente António Vitorino, sim senhor, nado e criado em Almeida, mas não tenho nada que ver com esse senhor que até conheço da televisão, tal como também nada tenho que ver com o outro, o Maestro.
Eu sou um pobre reformado da Guarda Fiscal, trabalhei muitos anos da fronteira de Vilar Formoso, nos saudosos tempos do contrabando e cheguei um dia a dar uma entrevista para o Diário de Notícias em 1962, não sei se leu, com fotografia e tudo, a qual ainda guardo comigo.
Sempre que quiser a minha casa está às suas ordens e tenho todo o prazer em lhe mostrar Almeida, que é uma terra muito bonita, bem como a entrevista que recortei e tenho guardada na gaveta da cómoda, debaixo das peúgas.
A minha idade e falta de vista já não me permite também estar presente no lançamento do livro do senhor Doutor, pelo que terá de desculpar-me mas, claro, sempre são oitenta e sete anos, a pensão da caixa é pequenina e, enfim, terá bondade de compreender…
O outro senhor Maestro também gosto muito de o ouvir falar, embora quanto a mim use o cabelo muito comprido e despenteado. Mas perece ser muito boa pessoa, muito sabedor e divertido.
Sem mais assunto, agradeço o convite que infelizmente não posso satisfazer devido à bronquite e às cataratas – já tenho operação marcada para 5 de Novembro de 2017, se Deus quiser… - e por isso aceite os meus cumprimentos e admiração com votos de bom sucesso para o seu livro deste que se assina, com toda a admiração.

António Vitorino, de Almeida

*ficcionado, de autoria de PEDRO BARROSO

 

 

Um poema, uma flor

 

UM POEMA, UMA FLOR

O meu 4º livro - 2008 - de onde destaco:

ESPERA

De amêndoa
olho a tua pele
de púrpura
invento o leito que te poiso
e de mel
espero 
o beijo que me adias

 

 

 

Antes que o tinteiro entorne

 

ANTES QUE O TINTEIRO ENTORNE

O meu 3º livro - 2003 (crónicas) - de onde reproduzo um excerto do prefácio:

"(...) nas crónicas do João Luís Dias (...) não sabemos o que mais admirar: se a perspicácia e a pertinência dos temas e problemáticas nelas apresentados, se a graciosidade e o humor requintados, expostos em muitas deles, ou o seu discurso burilado e inconfundível porque pisado e repisado no almofariz da estilística mais pura."

Agostinho Dias de Moura

 

 

 

Pág. 1/2