Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

Sonho em Hora de Ponta

 

SONHO EM HORA DE PONTA

O meu 2º livro - 1992 - de onde destaco:


BALADA EM TOM MENOR

Hoje não trago rosas vermelhas
só um corpo amorfo, um ventre abafado
uma fera ensonada, um poema sem rima ou brilho.
Hoje não trago flor alguma
só um beijo insípido, um abraço brando
um sorriso morno, um olhar descolorido
uma voz sem timbre.
Hoje nem uma folha carcomida me adorna
só um pranto seco, um soluçar mudo
um par de lágrimas em cristal gélido
uma balada sem verso e sem calma
uma noite inútil.
Hoje, mesmo assim
venho a ti porque acredito…
Hoje só ocupo as mãos nas tuas
só os teus lábios me elevam.

 

 

 

Prémio literário CALIDUM7PEDRO BARROSO

 

Em Terras de Bouro - Maio de 2001 - na entrega do prémio literário 
CALIDUM/PEDRO BARROSO.
Na foto, com o homenageado Pedro Barroso, o jornalista Carlos Pinto Coelho, Manuel Antunes, Travessa de Matos, o "poeta da montanha", entre outros seus admiradores que agora, confesso, não consigo identificar.

 

(foto amavelmente cedida pela produtora Luisa Barragon)

  

 

 

 

Teresinha

 

 

ESTA CANÇÃO É TODINHA PARA A MINHA IRMÃ TERESINHA, PORQUE SEI QUE NO CÉU TEM MUITO MAIS AZUL E CALMA PARA A DESFRUTAR DO QUE NÓS AQUI NESTE "TERREIRINHO" POEIRENTO, ONDE SÓ POR VEZES A CHUVA CAI...

 

 

 

Amanhecer

 

É noite, morna

de seda rubra vestida aos olhos

e já quase ao meio sono.

O silêncio, paciente

espera pela manhã

quando a água levada em perfume

em orvalho goteada

te salpique nos olhos

e te desperte num sorriso ímpar

que repartes com o sol

que acocorado no teu quarto

desperta e se levanta

para contigo acender o dia

ao esplendor maior das cores!

 



Pág. 2/2