Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

O dente da piranha

 

Por quem esperais

hipo cobertas à sede

se vos basta um dedo móvel

para abrires as comportas

das águas que aprisionais?

 

Sabei que a sede se mata

à última gota que brota!

 

Por que sofreis

hipocondríacos sem sono

se o coração é caixa automática

que bate e pára, mesmo sem razões

e nem quer saber se o temeis?

 

Sabei que a morte se anuncia tanta vez

pouco antes de apunhalar!

 

Porque o fio que vos equilibra nem sempre é de aço

sabei que poderá romper como nylon no dente afiado da piranha

E sabereis, então

que no peixe miúdo pode estar o carrasco!...

 

Por que esperais e sofreis ainda

filhas e filhos da sede e do medo?!...