Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

Rio Homem

 

O vento verga os amieiros

e a água 

descendo inconformada

se afaga nas margens;

o rio homem vai descendo 

na saudade

e sem saber bem

para onde e porque vai…

O vento verga os amieiros

para que os ramos

se despeçam de perto

da água limpa e transparente

que beberam 

ao arder do sol

quando a tarde se acendeu

no pináculo da montanha

de pedras soberbas!...


 


 

 

(para Felipa Florença, parceira de palavras, para que saiba do Rio Homem, com votos de rápida recuperação)

 

Ò amieiros do rio

deixar passar os barquinhos

quem namora às escondidas

quer abraços e beijinhos *

 

 

* do cancioneiro popular português

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.