Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

EUTANÁSIA

 

 

E continuamos à lei do rebanho, no mofo costumeiro e dogmas.
E o nascer e o morrer, a saúde e o sofrimento, valem o que valem, se "valores mais altos se levantam", mesmo que atamancados.

 

"Quando eu morrer batam em latas,
Rompam aos saltos e aos pinotes,
Façam estalar no ar chicotes,
Chamem palhaços e acrobatas!

Que o meu caixão vá sobre um burro
Ajaezado à andaluza:
A um morto nada se recusa,
E eu quero por força ir de burro!..."

(Mário de Sá-Carneiro)

 

E se, enquanto vivos ainda, escolhermos nós os palhaços, os acrobatas o chicote e o burro?
Só somos gente - livres - quando nos deixam ir ou desistir...