Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

MEMÓRIA

 

(ao último galo que me acordou)

Esta manhã não foi a manhã que queria.
Surgir pela madrugada,
o dia clareou,
o sol rasgou outra vez a neblina;
mas esta manhã não foi manhã como as outras.
Despertou-me o sobressalto,
entonteceu-me o silêncio,
uma amarga ausência gretou-me o pensamento…
nas veias o sangue rarefez-se!
Esta manhã não ouvi o galo cantar,
não foi ele o meu despertar!
O símbolo da madrugada adormeceu!
Calou-se a impertinente ternura do amanhecer.
O sublime canto não ecoa mais entre os cristais da manhã.
Jaz no chão frio o altivo “carrasco” do sono.
Puniu-o a lei que o coloriu.
Ele, que nunca nada o coroou
que nunca nada o soube querer,
legou nostalgia 
que sempre alimentou o correr em tantas manhãs...
Até um dia.

 

 

 

 

Sei-te distante, mas tenho-te aqui!
Um beijo, onde quer que estejas, pai...

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.