Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

OMBRO DE BORBOLETAS

 


Não és a guardiã do paraíso;
o paraíso não tem muros, nem portas,

nem chaves, nem alguém que o tranque.
Não és sereia à tona das águas do mar;
o mar é frio e tanta vez revolto

para te acolher e embalar nas ondas inquietas demais.
Não és chuva, nem vento nem tempestade,

nem raio de sol, ou noite de luar;
isso seria poesia.
Mas nos teus ombros pousam borboletas
e foi quando corria atrás delas

que encontrei no teu peito

a mais florida e perfumada primavera.

 

 

 

 

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.