Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

POEMAS E RECADOS

poemas e textos editados e inéditos de JOÃO LUÍS DIAS

VILARINHO DA FURNA - breve recordação

 

 

- Não ficcionado -

(dedico ao Dr. Manuel Antunes)

Despedida da sua aldeia, partiu, inconformada, a outro rumo. Afundaram-lhe a casa num poço de água aprisionada. Afogaram-lhe a aldeia e toda uma vida, pela construção de uma albufeira.
Chamavam-lhe Maria do Geira ("Mariquinhas", num trato íntimo e considerado).
O seu sorriso e a alegria das suas gargalhadas, amoleciam a mais forte dor no coração de quem com ela convivia. "Ao meu lado, não quero ninguém triste", dizia.
A Mariquinhas, nasceu e viveu (até um dia), na aldeia de Vilarinho da Furna. Quando dela partiu, chorou pela serra que deixava órfã, pelos prados sepultados, pelas aves que entontecidas voavam sem saber onde poisar. Com ela partiram todos; todos inconsolados, com a garganta engasgada de impropérios!
Vilarinho da Furna, onde a justiça imperava, onde as leis feitas nela mediam o peso certo, onde a solidariedade se riscava a toda a hora nas gastas pedras das calçadas, jazia só, submersa num manto de água parada e fria. Calava-se um nobre exemplo de comunidade!...
Volvidos vários anos, a Mariquinhas, com o mesmo sorriso, mas com a idade agora a quebrar-lhe as gargalhadas, voltou à modista que sempre a vestiu com aprumo, mesmo depois de ter partido da sua aldeia natal.
O vestido de tecido fino e negro que agora encomendava a confeção, seria o que iria guardar para a sua “última viagem”. Estranhou por isso a modista dos constantes reparos e exigências que ela fazia aquando da prova: ora mais cintado aqui, ora mais descido ali, ora mais folgado acolá… A Mariquinhas mirava-se de todas as posições em frente ao espelho. Mereceu, por isso, o reparo:
- Porquê tão perfeita a confeção do vestido, se afinal é para levar para a cova?! – perguntou, curiosa, a modista.
- Porque na hora da minha partida quero continuar a manter o aprumo e brio, em nome do povo da minha terra, que sempre mereceu – respondeu.

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.